A nova tendência de retornar aos antigos favoritos (TV, livros e música)

ANÚNCIO
A nova tendência de retornar aos antigos favoritos (TV, livros e música)

Há muita incerteza no mundo agora. O que explica uma grande tendência no entretenimento: as pessoas estão revisitando os programas de TV favoritos e ouvindo músicas que já sabem que gostam.

“Quando eu estava no turno da noite, há algumas semanas, eu fiz playlist mista para a minha equipe, não corri riscos musicais“, diz Miriam Segura-Harrison, 36 anos, médica de família residente na Brown University em Providence, RI ” Foi a trilha sonora de O Brother, Where Art Thou, Daft Punk e Wolfgang Gartner – minha lista pessoal que me levou à faculdade de medicina “.

ANÚNCIO

As evidências para essa tendência não são apenas anedóticas. Um novo estudo da Nielsen, realizado com a Billboard e a MRC Data, examinou o impacto do Covid-19 no consumo de entretenimento e concluiu que mais da metade dos consumidores hoje busca conforto em programas familiares de música e televisão.

Segundo o estudo, 87% dos entrevistados relataram ouvir a mesma música que normalmente ouvem e 54% disseram que assistiram recentemente a episódios de um antigo programa de TV favorito.

Nostalgia e normalidade são boas para pessoas como a romancista Jess Row, que respondeu a uma pergunta nas mídias sociais escrevendo: “Como família, estamos presos em um ciclo interminável de episódios de Gilmore Girls por exatamente esse motivo”.

ANÚNCIO

Traci LeNée Anderson, um gerente de negócios de mídia, que compara as reprises de Law & Order disse “Vou começar a assistir a algo que pensei que queria assistir, mas depois paro depois de alguns minutos”. “Parece muito esforço começar uma coisa nova, se isso faz sentido.”

A tendência surge na medida que as pessoas buscam por mais entretenimento

No momento em que um terço dos americanos trabalha em casa, segundo o estudo, 60% relatam gastar mais tempo em entretenimento. Quase 80% dizem ter adicionado um novo serviço de streaming, como Netflix ou Hulu. Menos pessoas estão ouvindo streaming de áudio, como podcasts, provavelmente em parte porque estão gastando menos tempo em seus carros e mais em seus sofás.

Lá, conteúdo familiar pode evocar tempos mais esperançosos. Nas mídias sociais, Monica Mingo mencionou que ouvir música da década de 1990 a ajuda a se reconectar com seu eu “jovem e destemido”.

E o alívio que estamos encontrando em conteúdo familiar não se limita a músicas e programas de TV. Segura-Harrison, uma judia ortodoxa, diz que há momentos em que ela evita telas por motivos religiosos.

Então, durante a Páscoa, ela está relendo a série Harry Potter. Tudo bem se a atenção dela desviar para outras preocupações e ela se encontrar incapaz de se concentrar, diz ela. Ao contrário da vida na era dos coronavírus, ela sabe exatamente o que vai acontecer na história – e como vai acabar.

Fonte: NPR

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo.

ANÚNCIO