A Austrália registrou o maior número de mortes relacionadas a tubarões desde 1934

ANÚNCIO

Tubarões mataram sete pessoas na Austrália em 2020 – o maior número desde 1934.

Apesar de sua reputação, normalmente apenas uma pessoa por ano é morta por tubarões na Austrália, e em 2019 não houve morte humana causada por tubarões.

ANÚNCIO

No entanto, até agora este ano o país já teve sete mortes, a mais recente em 9 de Outubro, e os cientistas acreditam que as mudanças climáticas podem ser as culpadas.

Mortes podem ter sido provocadas por mudanças climáticas

Culum Brown, um professor do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade Macquarie em Sydney, disse à CNN: “Na Austrália, este ano é um pequeno sinal. E, de fato, a média de longo prazo é de um – uma fatalidade por ano.”

“Então, sete é muito acima disso, não há dúvida.”

ANÚNCIO

Os especialistas não têm certeza do que causou o aumento nas mortes neste ano, alguns alegando que é normal que os números mudem um pouco, enquanto outros dizem que pode ser devido às mudanças climáticas.

Crédito: PA
Foto: (reprodução/internet)

Com o aquecimento dos oceanos, os habitats de certos peixes e outras formas de vida marinha estão sendo destruídos, levando à migração e à mudança de comportamento de algumas espécies.

Isso pode fazer com que os tubarões se aproximem da costa para capturar suas presas.

Leia também: Novas espécies de “tubarões ambulantes” foram descobertas na Austrália

O professor Brown disse: “Eu passo muito tempo em barcos ao longo da costa e este ano não me lembro de um ano em que tenha visto tantas agregações de iscas de peixes tão perto da costa.”

Tubarões estão em migração

Não há dúvida de que os tubarões estão apenas respondendo ao local onde estão os peixes-isca.”

Robert Harcourt, pesquisador de ecologia de tubarões e diretor do grupo de pesquisa de predadores marinhos do Macquarie, diz que algumas espécies preferem essas águas mais quentes.

Crédito: PA
Foto: (reprodução/internet)

Ele disse à CNN: “Eu previa que haverá um maior movimento, um aumento na distribuição geográfica, em muitas dessas espécies – isso porque a dinâmica da mudança climática significa que seu habitat adequado em termos de temperatura da água e distribuição de presas está mudando também.”

“E esses animais são predadores grandes e de longo alcance.”

Harcourt também aponta para o fato de que as pessoas estão passando mais tempo no mar e, portanto, são mais propensas a entrar em contato com os animais.

Ele acrescentou: “Eles terão potencialmente mais contato com as pessoas e, ao mesmo tempo, o uso humano do oceano está aumentando o tempo todo.”

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo

Fonte:Lad Bible

ANÚNCIO