Nova teoria sugere máscara facial para produzir imunidade secundária contra COVID-19

ANÚNCIO

O mundo está em seu sétimo mês de bloqueio e restrições trazidas pela nova pandemia de coronavírus, que se mostra fatal para a saúde e o bem-estar de uma pessoa. A pandemia global resultou em uma exigência mundial de uso de máscara facial.

Pesquisadores e médicos agora produzem uma teoria que coloca as máscaras faciais como a principal resposta para o problema do coronavírus que o mundo enfrenta. O New England Journal of Medicine publicou recentemente comentários de médicos e especialistas na área da medicina, dizendo que as máscaras não apenas protegem contra certos vírus, mas também dão imunidade ao corpo humano.

ANÚNCIO

De acordo com o relatório do The Telegraph, pesquisadores e especialistas argumentam que o uso de máscaras faciais universais pode reduzir o efeito do vírus no corpo e sua gravidade. O uso de máscara facial, embora não forneça imunidade total, pode ajudar a reduzir a infecção do corpo e levar a casos assintomáticos.

O uso de máscaras faciais pode ajudar significativamente o governo e sua luta para criar vacinas, fornecendo uma imunidade secundária contra o vírus enquanto se espera pelas injeções apropriadas que podem proteger o vírus contra o corpo.

Veja também: A vacina contra o coronavírus sendo fabricada na Austrália não mostra sinais de efeitos colaterais

A teoria ainda não foi comprovada e especialistas na área médica até mesmo discutem sua validade. No entanto, embora a máscara facial seja conhecida por filtrar as substâncias e vírus mais prejudiciais, sua proteção ainda não garante uma proteção cem por cento para o corpo.

ANÚNCIO

Máscaras faciais: como isso dará imunidade?

Maryland Governor Larry Hogan Mandates Face Coverings When In Stores And Public Transit
Foto: reprodução/internet

Os especialistas que argumentam no New England Journal of Medicine apresentam raciocínios e descobertas significativas que complementam diretamente as máscaras faciais como objetos que aumentam a imunidade contra vírus, particularmente o Coronavirus ou COVID-19.

Máscaras faciais filtram vários vírus e doenças; no entanto, não oferece proteção total. Isso significa que certas partículas ainda podem penetrar além da máscara e atingir uma pessoa entrando pela boca ou nariz.

Os vírus que penetram na máscara têm sua “dose infecciosa” diminuída e podem ser facilmente combatidos pelo sistema imunológico do organismo. A dose infecciosa é a quantidade de vírus ou seu número necessário para infectar uma pessoa. A insuficiência pode não desencadear o efeito da infecção em cadeia do vírus e pode combater eficazmente o vírus.

O programa The Immunity, comentado por especialistas médicos, sugere que o uso de máscaras pode ajudar a introduzir o vírus no corpo em doses infecciosas mais baixas em comparação com as que infectam diretamente. Esta ‘introdução indireta’ ao vírus pode ajudar o corpo a conhecer o vírus e combatê-lo, uma vez que ele chega em uma dose maior.

Este fenômeno também resultará em casos positivos assintomáticos de COVID-19, ou seja, a pessoa está infectada pelo vírus, mas não representará riscos graves ou fatais.

As máscaras serão suficientes para substituir as vacinas?

Coronavirus Pneumonia Outbreaks In China
Foto: reprodução/internet

A introdução de máscaras faciais como meio de imunidade pode levar as pessoas a acreditar que as vacinas não seriam mais necessárias. No entanto, as implicações da teoria são apenas um precursor e uma medida inicial a ser amplamente utilizada até que uma vacina aprovada chegue ao mercado.

A teoria reforça ainda mais as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) quanto ao uso obrigatório de máscaras faciais, sejam de pano ou variantes cirúrgicas com três camadas de proteção.

Por enquanto, as Máscaras Faciais ainda são o tipo de proteção recomendado para os cidadãos que precisam estar em público, sendo a barreira contra substâncias estranhas que entrarão no corpo.

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo

Fonte: Tech Times

ANÚNCIO