Força Aérea dos Estados Unidos convida hackers para invadir um de seus satélites

ANÚNCIO

A Força Aérea dos Estados Unidos está desafiando os hackers a invadirem seus satélites em órbita, aparentemente se juntando à tendência em que as empresas usam hackers para procurar várias vulnerabilidades em seus sistemas e oferecendo recompensas para quem denunciar qualquer descoberta.

Satellite

Em primeiro lugar, por que usar hackers?

Com base no convite anterior da Força Aérea para que hackers invadissem um caça F-15 no ano passado durante a conferência de segurança Def Con, os resultados foram chocantes.

ANÚNCIO

Foi também a primeira vez que hackers foram convidados a procurar no sistema por bugs e vulnerabilidades. Surpreendentemente, em apenas dois dias, uma equipe de sete hackers encontrou uma infinidade de vulnerabilidades. Se usado em mãos erradas em um aplicativo do mundo real, isso seria um perigo para todos os envolvidos, causando danos catastróficos incontáveis.

É exatamente por isso que a Força Aérea precisava que os hackers verificassem se seus sistemas estavam à altura do mundo moderno, o que, aparentemente não estava.

Will Roper, secretário assistente da Força Aérea para aquisição, tecnologia e logística, disse o seguinte: “Saí daquele evento pensando que há um enorme patrimônio nacional nesse nível de conhecimento cibernético que nos falta na Força Aérea. “

ANÚNCIO

Roper é o responsável por todos os satélites que a Força Aérea constrói. Historicamente, a Força Aérea mantinha a segurança de seus sistemas e tecnologia em absoluto sigilo, temendo espionagem e sabotagem de qualquer ameaça. Roper não concordou com isso e disse que parecia estar “preso às práticas comerciais da Guerra Fria”.

Roper diz: “Mas no mundo de hoje essa não é a melhor postura de segurança. Só porque você não está dizendo ao mundo sobre suas vulnerabilidades não significa que você está seguro para ir à guerra”.

O que a Força Aérea planejou para os hackers agora

Roper planeja fazer a mesma abordagem novamente, desta vez para seu satélite no Def Con deste ano em Sunny Las Vegas, e desta vez para invadir um satélite em funcionamento já em órbita, pairando quilômetros acima da Terra.

O espaço sempre foi para os privilegiados em apenas um punhado de governos que têm sua tecnologia prática que pode chegar tão longe, mas com o passar do tempo, mais e mais empresas privadas agora têm os meios para trazer seus próprios satélites em órbita. Este pode ser um campo de batalha em potencial para o futuro, e a Força Aérea não estará um passo atrás.

O motivo do uso de hackers não é apenas encontrar bugs existentes que podem ser explorados, mas finalmente eliminar a cadeia de suprimentos para evitar possíveis bugs ou ameaças.

Roper diz: “Nós não conhecemos os fantasmas que existem em nossos sistemas que vêm da cadeia de suprimentos e as empresas que os montam, e os combatentes e satélites também não porque não sabem pedir por eles”.

Fonte: Techtimes

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo

ANÚNCIO