Como as viagens aéreas mudarão assim que a pandemia terminar: tarifas mais altas, esperas mais longas e nenhuma bebida

ANÚNCIO

De acordo com um relatório da NBC News, as viagens aéreas após a pandemia parecerão muito diferentes das viagens de “baixo custo” do passado. Tarifas mais altas, sem bebidas alcoólicas a bordo e verificações de temperatura antes do embarque aguardam os passageiros.

Atualmente, as companhias aéreas estão preocupadas com o eventual retorno de passageiros e com a necessidade de implementar medidas significativas para impedir a disseminação adicional do coronavírus.

ANÚNCIO
Flights Will No Longer Be The Same Once The Pandemic Is Over: Higher Fares, Longer Waits, And No Booze Will Be Waiting For Your Next Flight

Segundo o relatório, duas transportadoras já foram forçadas à falência desde que o tráfego da indústria aérea despencou 95%.

As tarifas de passagens aéreas deverão aumentar em 50%

De acordo com Alexandre de Juniac, chefe da Associação Internacional de Transporte Aéreo, a autoridade global de transporte aéreo, as tarifas aumentarão em 50%, uma vez que os aviões tentarão impor o distanciamento social.

A Delta e a Easyjet disseram ter uma distância segura entre os passageiros e aqueles que não fazem parte do grupo de viagem. As companhias aéreas também removerão os assentos do meio.

ANÚNCIO

Os vôos não serão mais os mesmos assim que a pandemia terminar: tarifas mais altas, espera mais longa e nenhuma bebida estará aguardando por você em seu próximo voo.

De acordo com a NBC News, as refeições a bordo também parecerão diferentes quando a pandemia terminar. Revistas a bordo e menus em papel desaparecerão. Bebidas e refeições não serão fornecidos pela American Airlines, exceto em voos com rotas internacionais, conforme explicado pela empresa.

Flights Will No Longer Be The Same Once The Pandemic Is Over: Higher Fares, Longer Waits, And No Booze Will Be Waiting For Your Next Flight

Enquanto as bebidas pré-embaladas e seladas serão oferecidas pela United Airlines, a Delta incentiva seus passageiros a embalar sua própria comida, a fim de diminuir o contato físico entre eles e os funcionários da empresa. Os passageiros de primeira classe receberão uma refeição embalada contendo itens como um prato de frutas e um sanduíche.

Segundo o relatório, outra boa razão pela qual os passageiros devem trazer sua própria comida é por causa das esperas mais longas nos aeroportos. Diz-se que a espera de quatro horas é a norma na maioria dos aeroportos do mundo, uma vez que as companhias aéreas vão higienizar e inspecionar as malas dos passageiros e etiquetá-las assim que terminarem. Obviamente, isso levará mais tempo.

Será necessário repensar o modelo das companhias aéreas para um novo futuro

“Temos que repensar e remodelar nossa companhia aérea e criar um novo futuro para nosso pessoal, clientes e destinos a que servimos”, disse Alex Cruz, CEO da British Airways no relatório.

A Organização da Aviação Civil Internacional declarou que 1,5 bilhão a menos de passageiros serão enfrentados pelas companhias aéreas globais este ano. Enquanto isso, U$ 273 bilhões em receita serão perdidos, uma vez que a capacidade de assentos das companhias aéreas poderá cair em quase três quartos.

A pandemia tornou-se ainda pior do que a indústria aérea sofreu após o ataque terrorista de 11 de setembro de 2001, conforme descrito pelos executivos das companhias aéreas e pelo secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin.

Fonte: Tech Times, NBC

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo.

ANÚNCIO