Perda de gelo ‘sem precedentes’ na Groenlândia bate recorde

ANÚNCIO

Os cientistas revelaram que a Groenlândia teve uma quantidade recorde de perda de gelo e, como você pode imaginar, esse não é um bom recorde para quebrar.

Os pesquisadores dizem que a escala do derretimento foi “sem precedentes” em registros que datam de 1948.

ANÚNCIO

O artigo mostra como os satélites GRACE-FO (Gravity Recovery and Climate Experiment – Follow On) foram usados ​​para medir as perdas de massa.

Perda voltou a aumentar em 2019

Entre 2003-2016, o manto de gelo da Groenlândia foi um dos maiores contribuintes para o aumento do nível do mar, pois perdeu cerca de 255 gigatoneladas de gelo por ano. Isso desacelerou em 2017 e 2018 para cerca de 100 gigatoneladas por ano.

A pesquisa afirma: “Descobrimos que essa redução na perda de gelo resulta de dois verões frios e anômalos no oeste da Groenlândia, agravados por condições de outono e inverno ricas em neve no leste.”

ANÚNCIO

Então, em 2019, o GRACE-FO revelou um retorno a altas taxas de fusão levando a uma perda de massa de 12 Gt (gigatoneladas) durante o mês de Julho sozinho.

Rod Downie, Conselheiro Polar Chefe do WWF, disse: “O que está acontecendo no Ártico é nada menos que uma crise. O gelo está derretendo em quantidades recordes, em um Ártico que já aqueceu mais do que o dobro da média global.”

Imagem de satélite, datada de 12 de junho de 2014, em várias geleiras na Groenlândia.  Cientistas descobriram um aumento no degelo da camada de gelo da Groenlândia.  Crédito: PA

O que acontece no Ártico não fica no Ártico. Está nas portas do Reino Unido e afeta o mundo inteiro. Antes da cúpula do clima de Glasgow no próximo ano, o Reino Unido deve mostrar liderança; devemos aumentar nossas ambições ambientais e reduzir nossas emissões – antes que seja tarde demais.”

Camada derretida pode não ter volta

No início deste mês, os cientistas da Ohio State University afirmaram que a camada de gelo da Groenlândia pode ter derretido além do ponto sem volta.

Os cientistas estudaram 234 geleiras no território ártico por 34 anos até 2018 e descobriram que o gelo na Groenlândia provavelmente desaparecerá, independentemente da rapidez com que tentemos reduzir as emissões.

Crédito: PA

Se o gelo desaparecer, espera-se que sua água eleve o nível do mar em cerca de seis metros, o que é suficiente para inundar muitas cidades costeiras ao redor do mundo, relata a Sky News.

Michalea King, a principal autora do estudo e pesquisadora da Ohio State University explicou: “Há muitos lugares, especialmente na Flórida, onde um metro sozinho cobriria muitas áreas de terra existentes.”

“E isso é exacerbado quando você tem tempestades e furacões e coisas assim, que causam um aumento extra em cima de uma linha de base mais alta.”

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo

Fonte:Lad Bible

ANÚNCIO