Lee Kun-hee, presidente da Samsung que transformou a empresa em uma força global, morre aos 78 anos

ANÚNCIO

Lee Kun-hee, presidente da Samsung Electronics que transformou a empresa no maior produtor mundial de smartphones, chips de memória e televisores, morreu. Ele tinha 78 anos.

FILE - In this July 6,
Foto: reprodução/internet

A Samsung anunciou em um comunicado que Lee morreu no domingo, embora uma causa exata não tenha sido fornecida. Um ataque cardíaco que Lee sofreu em 2014 o manteve frequentemente hospitalizado e ele também foi tratado para câncer de pulmão na década de 1990, de acordo com o New York Times.

ANÚNCIO

“O presidente Lee foi um verdadeiro visionário que transformou a Samsung em inovadora líder mundial e potência industrial de uma empresa local”, disse a declaração da Samsung. “Seu legado será eterno.”

Legado de Lee como presidente da Samsung

Lee nasceu em 9 de janeiro de 1942 em Daegu, que na época estava localizada na Coréia ocupada pelos japoneses. Ele se formou na Universidade Waseda de Tóquio em 1965 em economia e fez mestrado em administração de empresas na George Washington University em Washington, D.C., embora não tenha se formado.

Lee tornou-se presidente da Samsung em 1987 após a morte de seu pai, Lee Byung-chul, que fundou o conglomerado em 1938. Depois de assumir, Lee Kun-hee trabalhou para o avanço tecnológico da empresa e, no início dos anos 90, a Samsung havia se tornado líder em chips de memória, ultrapassando outras empresas americanas e japonesas.

ANÚNCIO

A partir daí, a Samsung também se destacou em televisores de tela plana e esteve na vanguarda da transformação de telefones celulares em máquinas de computação de alta tecnologia. Lee foi presidente do Grupo Samsung até 1998, tornando-se então presidente e executivo-chefe da Samsung Electronics até 2008. Ele permaneceu presidente da Samsung Electronics de 2010 até sua morte, com seu filho, Lee Jae-yon, assumindo o papel de rosto público da companhia.

Veja também: A Apple recebe do Google US $ 8-12 bilhões anualmente para ser o mecanismo de pesquisa padrão em dispositivos iOS

Smartphones Samsung: Galaxy S, J, Note e A | Samsung BR
Foto: reprodução/internet

Amante de cinema

À medida que a Samsung se tornou uma potência na economia da Coreia do Sul e uma força global, Lee se tornou o homem mais rico do país. No entanto, sua vida teve polêmica. Em 1996, Lee foi condenado por subornar o presidente da Coreia do Sul, mas foi perdoado. E, em 2008, ele foi considerado culpado de sonegação de impostos, mas foi novamente perdoado.

Lee era um amante do cinema e uma vez se encontrou com Steven Spielberg sobre a possibilidade de investir em um estúdio de cinema, embora Lee e seus colegas tenham passado o jantar falando sobre seus próprios negócios. Spielberg disse mais tarde à Time Magazine sobre a reunião: “Pensei comigo mesmo:‘ Como eles vão saber alguma coisa sobre o negócio do cinema quando estão tão obcecados por semicondutores? ’”

Além de seu filho, Lee deixou sua esposa, Hong Ra-hee; filhas Boo-jin e Seo-hyun; irmãs Sook-hee, Soon-hee, Deok-hee e Myung-hee; e sete netos.

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo

Fonte: Variety

ANÚNCIO