História verdadeira do Jogo de Imitação – e cena trágica cortada do final de Turing

ANÚNCIO

História verdadeira do Jogo de Imitação - e cena trágica cortada do final de Turing

O filme de 2014, O Jogo da Imitação, conta a história inspiradora do matemático Alan Turing e sua equipe de decifradores de códigos, cujo trabalho foi crucial para os esforços britânicos na Segunda Guerra Mundial.

ANÚNCIO

O filme, estrelado por Benedict Cumberbatch e Keira Knightly, concentra-se na corrida para decodificar mensagens produzidas pela máquina Enigma, aparentemente inquebrável, dos militares alemães.

No entanto, o filme não é um relato totalmente preciso dos eventos históricos, ao invés de inventar personagens fictícios, reorganizando a cronologia dos eventos e injetando conflitos para fins de entretenimento.

Então, qual é a verdadeira história por trás do filme e de seus personagens?

ANÚNCIO

Quem foi Alan Turing?

Alan Turing foi um matemático que fez grandes contribuições para matemática, ciência da computação e inteligência artificial.

História verdadeira do Jogo de Imitação - e cena trágica cortada do final de Turing

Ele foi crucial para os esforços do governo britânico durante a guerra, pois criou com sucesso um dispositivo capaz de decodificar as comunicações alemãs criptografadas.

No final da guerra, Turing recebeu uma EFC por seu trabalho de quebrar código, mas em sua vida pessoal ele passou por muitas lutas.

Turing era um homem gay em uma época em que a homossexualidade era ilegal e, em 1952, foi condenado por “grosseira indecência” e sentenciado a liberdade condicional que envolvia castração química.

Somente em 2009 o primeiro-ministro britânico Gordon Brown pediu desculpas em nome do governo britânico pelo tratamento injusto de Turing e, quatro anos depois, a rainha Elizabeth II concedeu a Turing um perdão real.

A quebra do Enigma

O filme enfoca a equipe por trás da quebra de mensagens alemãs criptografadas, mas qual é a precisão de seu retrato?

A máquina responsável por quebrar o código do filme é chamada de “Christopher”, mas na vida real foi chamada de Bombe.

História verdadeira do Jogo de Imitação - e cena trágica cortada do final de Turing

O nome vem de uma versão anterior da máquina, chamada Bomba, desenvolvida por criptoanalistas poloneses.

A versão anterior foi inutilizada quando os procedimentos operacionais alemães foram alterados.

A equipe de Turing projetou uma máquina de quebra de código relacionada, mas muito diferente, que durante a guerra foi capaz de decodificar com sucesso dezenas de milhares de mensagens interceptadas a cada mês.

No filme, parece que Turing foi o único gênio por trás da máquina, mas na vida real o matemático Gordon Welchman, que nem é mencionado no filme, colaborou com Turing no design.

Que cena trágica foi cortada do filme?

O roteirista do Jogo da Imitação, Graham Moore, revelou que uma cena particularmente trágica que descreve o fim da vida de Turing foi cortada do filme.

Um ano após sofrer castração química para “curar” sua homossexualidade, Turing morreu de envenenamento por cianeto, que foi considerado suicídio.

Em vez de mostrar Turing no final de sua vida, o filme termina com ele sofrendo com o tratamento.

No entanto, como Moore disse ao Vulture, esse nem sempre foi o final pretendido.

Ele disse: “Criamos um roteiro e gravamos uma cena muito curta que deveria ocorrer após a cena com Alan e Joan [Keira Knightley], onde o detetive Nock [Rory Kinnear] volta para casa depois que o corpo foi encontrado” .

Moore continuou a descrever como a cena ficaria dizendo: “Ele sobe as escadas e você vê o corpo de Alan Turing, embaçado em primeiro plano, enquanto ele está morto na cama, e há uma maçã com uma mordida na mesa de cabeceira.

A cena acabou sendo cortada quando Moore disse que “caiu realmente plana”, então o filme termina com um monólogo da personagem de Keira Knightley, Joan.

Fonte: Mirror

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo

ANÚNCIO