Globoplay lança série documental sobre João de Deus

ANÚNCIO

João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus, nasceu em 24 de junho de 1942 na cidade de Cachoeira de Goiás. Autoproclamado médium espiritual, João dizia curar as pessoas de distúrbios mentais, como depressão, por meio de procedimentos religiosos.

Os atendimentos e cirurgias espirituais eram realizados na Casa Dom Inácio de Loyola, na cidade de Abadiânia. Porém, após a denúncia de várias mulheres que foram abusadas sexualmente por João de Deus, ele começou a ser investigado.

ANÚNCIO

Contando a história dele e os casos de abuso sexual, a Globoplay, plataforma de streaming da Globo, lançou uma série documental sobre o caso. Nesse artigo, veremos mais informações sobre a série.

Globoplay lança série documental sobre João de Deus
Foto: reprodução/internet

“Em nome de Deus”: série da Globo sobre João de Deus

A série “Em nome de Deus” é uma série feita pela Globo, emissora brasileira de televisão, em parceria com o Canal Brasil que conta desde os bastidores dos crimes sexuais até a prisão de João de Deus. Além de ser julgado e condenado a 19 anos de prisão por abuso sexual, ele também foi indiciado por falsidade ideológica, corrupção de testemunha e posse ilegal de armas.

A série conta com seis episódios que tratam desde a rede de fama do médium, com amizades e contatos entre famosos e políticos, nacionais e internacionais, até explicar todo o processo de descobertas de abusos sexuais cometidos por João realizado pela produtora e roteirista Camila Appel.

ANÚNCIO

A série já está disponível na Globoplay desde 23 de junho de 2020 e será transmitida pela TV Globo toda terça-feira às 23h15 e também pelo Canal Brasil todas segundas às quartas, sempre às 20h50min.

Processo de investigação para a série

A série foi realizada a partir de uma vasta pesquisa de arquivos em documentários e programas de TV nacionais e estrangeiros, além ter sido utilizado material pessoal das vítimas. Toda essa apuração levou 18 meses para ser concluída.

Tudo começou quando, em um programa do “Conversa com Bial”, no dia 7 de dezembro de 2018, a bailarina holandesa Zahira Lieneke Mous deu um depoimento em rede nacional contando os abusos sexuais sofridos por ela quando foi em busca de tratamento espiritual com João de Deus. Após isso, o médium passou a ser investigado.

Camila Appel, roteirista do programa e da série, esteve à frente das investigações sobre essas denúncias, e foi a responsável por contato Zahira e as outras vítimas não apenas para falaram no programa, mas principalmente na série. Durante todo esse processo, se sentiu muito tomada com isso, e disse que precisou de apoio para continuar.

Formato da série

A série ocorre toda no formato de uma roda de conversa, na qual as vítimas contam suas experiência, a fim de ser o principal enredo e tema do programa. Confira o comentário dela sobre essa escolha:

O mínimo que a gente tem a oferecer é uma empatia de falar: ‘Eu compreendo a sua dor’. A gente não oferece uma cura. Aquele encontro das mulheres não tem esse objetivo. Mas tem o objetivo de tentar mostrar que esse compartilhar da dor pode ser algo bonito. E que algo pode surgir de lá. No final da série, eu vejo isso acontecer. Essa dor está em outro lugar. Ela não é curada, mas tem uma transformação. Em mim também“.

ANÚNCIO