A celebração do dia da libertação de um sobrevivente do holocausto é marcada pelo coronavírus

A celebração do dia da libertação de um sobrevivente do holocausto é marcada pelo coronavírus
Sol Gringlas e seu neto, Sam, produtor de All Things Considered.

Meu avô Sol Gringlas nasceu em agosto,mas todo ano, fazemos uma celebração em 11 de abril. Eu passo pela casa dele em Michigan, ou ligo por telefone, para lhe desejar um feliz aniversário.

Isso porque meu avô considera o 11 de abril seu “segundo aniversário“.

É o dia de 1945 em que sua vida recomeçou – quando ele foi libertado do campo de concentração de Nordhausen, na Alemanha nazista, por soldados americanos.

O dia sempre foi especial para o meu avô e nunca perco a celebração ritual de aniversário.

Mas este ano – o 75º aniversário – é diferente. Por causa do coronavírus, comunidades de vida assistida, como aonde meu avô mora, estão fechadas para os visitantes.

ANÚNCIO

A celebração de Sol Gringlas foi diferente este ano

Então, no início deste mês, meu pai estava no gramado do lado de fora do quarto de seu pai, segurando um telefone, enquanto uma enfermeira trouxe meu avô na varanda para acenar.

“Eles não deixam você entrar?” meu avô perguntou.

“Eles estão tentando mantê-lo saudável. É por isso que eu não posso entrar”, meu pai gritou de volta para a varanda.

Sol Gringlas nasceu em Ostrowiec, Polônia. Ele chegou a Auschwitz em 1943.

“Vi montanhas de sapatos infantis, vi montanhas de roupas de pessoas “, disse ele a um entrevistador de história oral há alguns anos. “O céu estava vermelho à noite.”

Agora, ele tem 100 anos e luta para contar as histórias.

Quando Sol chegou a Auschwitz, os prisioneiros disseram-lhe o que esperar.

“E um garoto disse: ‘Sol, esse é o fim.’ Eu disse: ‘Perdi minha família, também não me importo.”

Depois de oito dias em Auschwitz, ele foi selecionado para ir a Nordhausen, um campo de trabalhos forçados, onde passou dois anos cavando rochas para uma fábrica nazista. Em 1945, Sol havia se reunido com seu irmão. Os nazistas haviam matado seus pais e quatro outros irmãos.

Finalmente, em 11 de abril, os americanos libertaram Nordhausen. Seu irmão deu a notícia: “Sol, somos livres! Os americanos estão lá”.

Este ano, o aniversário caiu no meio da Páscoa, o feriado que conta a história da fuga dos judeus da escravidão no Egito.

Com os visitantes do lar de idosos proibidos no futuro próximo, me pergunto se terei outra chance de me sentar à mesa do Seder com ele.

Meu avô realmente não entende por que ninguém mais visita. Às vezes, ele pede para voltar para casa.

Mas em meio a uma pandemia que mantém grande parte do país em estado fechado, abril continua sendo um símbolo de libertação – um lembrete de que a vida pode começar de novo, apesar de toda a escuridão.

Fonte: NPR

Traduzido e adaptado por equipe Ktudo.

ANÚNCIO